Educação Popular & Saúde

A Série Educação Popular & Saúde é destinada à publicação de textos autorais com narrativas, ensaios teóricos e empíricos, pesquisas, relatos reflexivos e analíticos de experiências, assim como reflexões com diversidade de linguagens, no âmbito da saúde, das políticas públicas, da educação e do trabalho em saúde e dos movimentos sociais.

A produção teórica que compõem os livros deverá contribuir para a reflexão sobre as conexões entre a educação popular e a formação em saúde, a indução de práticas colaborativas e do caráter interprofissional na formação e no trabalho em saúde e a qualificação das iniciativas de formação no Sistema Único de Saúde (SUS). As análises deverão abordar o estado da arte do conhecimento científico e, também, o cotidiano, com ênfases no instituído (o que já está no escopo do conhecimento válido) e, também, no cotidiano (os saberes que fazem artesanias para resolver os problemas do dia-a-dia) e que tem desfechos e resultados construtivos. As produções deverão observar os seguintes eixos: bases e referenciais teórico conceituais e metodológicos da interface educação popular & saúde; dimensões da educação popular e saúde e as múltiplas linguagens; educação popular e saúde e a integralidade do cuidado; Educação Popular e Saúde e gestão participativa, participação e controle social.

A Educação Popular em Saúde mobiliza a produção compartilhada de conhecimentos para transformar situações ou problemas que, por sua vez, suscitam questionamentos, indagações para promover o diálogo entre as perguntas que surgem do cotidiano e as construções em diversas formas de conhecimento. Conecta territórios de afeto e luta no compartilhamento de saberes e práticas na construção e transformação para um país e mundo nos quais as diversidades sejam ouvidas na produção de comuns que cuidam de todos os seres no planeta. Tece redes dialógicas de afeto, implicação e amorosidade, de articulação, organização, lutas e produção de sabres e conhecimentos que emergem do cotidiano das experiências e de processos vividos em diálogo com outros saberes historicamente acumulados, na perspectiva de produções inovadoras para a compreensão, análise e resolução de situações limites, a fim de construir os inéditos viáveis para suas superações. Promove o encontro, a articulação dialética e a mediação entre os saberes populares e científicos, propiciando novas possibilidades, saberes e desafios. Propõe modos de viver e produzir conhecimentos, valorizando e reconhecendo as experiências de vida das pessoas, seus saberes, culturas e modos de cuidado, integrando o conhecimento científico numa perspectiva ética e crítica, não colonizadora. 

RESPONSÁVEIS PELA SÉRIE: Vanderléia Laodete Pulga, Maria Rocineide Ferreira da Silva, Vera Lúcia de Azevedo Dantas, José Ivo dos Santos Pedrosa.

Compartilhe: